Ana Cristina Dib ATA Carnet, comércio exterior, desburocratização, exportação temporária, exportações, Firjan, Rio de Janeiro0 Comment 22/02/2019

Rio de Janeiro – O Rio de Janeiro, por meio da Firjan, segue como o estado que mais emite o ATA Carnet no país, um documento aduaneiro internacional. Em 2018, foram 141 documentos expedidos pela federação, quase a metade (47%) do total emitido pelo país no ano. Com ele, a exportação e importação temporárias de bens e produtos são realizadas sem o custo de impostos e burocracias, tanto para pessoa física quanto jurídica. Atualmente, o passaporte é aceito em 78 países e tem validade de um ano.

 Ainda pouco conhecido no Brasil, o ATA Carnet descomplica a circulação internacional de mercadorias e diminui os riscos de apreensão ou retenção dos bens em aduanas. Facilita a vida de empresas na participação em feiras, congressos e exposições no exterior, no envio de amostras comerciais, na produção audiovisual e em viagens internacionais com equipamentos para competições e com fins educativos, científicos e culturais. Segundo pesquisa da CNI, cerca de 20% das empresas exportadoras realiza exportações temporárias.

Sancler Vale, da Sancler Gemstones Brazil, utilizou o documento para ir à exposição de gemas no Tucson Gem Shows, nos EUA. “O ATA Carnet salvou minha viagem. Fiz muitos contatos e estou fechando negócios”, relata.

Ao invés de levar a mercadoria para vender, o que resultaria em um custo maior, ele decidiu apenas expor os produtos aos potenciais clientes do evento e providenciou o documento.

“Mudei o estilo de negócio para me adaptar ao mercado internacional. Fiz mais contatos e obtive melhores resultados nesta viagem, do que em uma anterior que tinha a intenção de vender”, comemora.

 ATA Carnet simplifica trâmite na alfândega

 Segundo Joana Aparecida Lages, auditora-fiscal da Receita Federal e delegada da alfândega do Aeroporto Internacional do Galeão, com o documento o controle fica mais simples e o procedimento mais ágil. “O usuário tem mais facilidade de sair e entrar com seus bens no país, pois só precisa apresentar o ATA Carnet com a lista dos itens à autoridade aduaneira para conferência”, pontua.

Segundo Joana, a utilização do documento reduziu de forma significativa o estoque de processos de exportação temporária. Sem ele, o processo envolveria a declaração de exportação temporária, de importação, a concessão do prazo e o controle do regime. “Acredito que esse resultado ajude o país nas ações de facilitação do comércio exterior e reflita a disposição dos auditores-fiscais em tornar efetivo o aprimoramento dos processos aduaneiros”, complementa Joana.

 A CNI emite o documento no país por meio das federações de indústrias. No ano passado, o Brasil foi o maior emissor da América Latina, com 299 documentos. “O ATA Carnet já era usado em diversos países e por muito tempo a Firjan defendeu que o Brasil também deveria aderir ao sistema, que facilita a atuação das empresas fluminenses no mercado internacional”, conta Rachel Brasil, coordenadora de Acesso a Mercado da federação.

 Rachel conta que, devido à vocação do Rio para o audiovisual, o ATA Carnet tem sido bastante utilizado por grandes empresas do setor. “O sistema facilitará as operações de diversas empresas associadas ao Sicav, por exemplo. Todos se beneficiam do processo simplificado, inclusive os pequenos produtores”, revela. Em 2018, o setor de telecomunicações foi o que mais emitiu o documento.

Como emitir o documento

 Para solicitar o ATA Carnet é preciso acessar o sistema online

https://www.ata.cni.org.br/Auth/Login?ReturnUrl=%2f e preencher todos os dados. Para mais informações, visite o site http://www.portaldaindustria.com.br/cni/canais/ata-carnet/como-e-onde-emitir/ ou entre em contato: (21) 2563-4679 e atacarnet@firjan.com.br. Associados da Firjan possuem atendimento prioritário.

(*) Com informações da Firjan

Fonte www.comexdobrasil.com