frango vivo_a

Curitiba – A decisão do governo da China de impor medidas antidumping sobre a importação de frango brasileiro deve afetar todo o setor de avicultura no Paraná, principal estado exportador/produtor brasileiro do produto. A decisão, anunciada na sexta-feira (08) pelo governo chinês, ocorreu por considerar que os produtores locais sofrem concorrência desleal com a entrada dos produtos brasileiros. Com as novas medidas, que entraram em vigor no sábado (09), os importadores deverão pagar aos depósitos alfandegários chineses taxas que variam entre 18,8% e 38,4%.

Para o empresário Thiago Burbela, diretor do Grupo Casco Comércio Exterior e Logística, esta é mais uma sanção e um grave impacto à indústria avícola do Paraná, que este ano já sofreu com o embargo da União Europeia à carne de frango e, há poucos dias, enfrentou os graves prejuízos ocasionados pela greve dos caminhoneiros em todo o Brasil durante dez dias. “Além de afetar diretamente a produção agropecuária do Paraná, isso irá causar um grave impacto na economia do estado”, analisa o empresário.

Thiago Burbela, Diretor do Grupo Casco.

A China é o maior consumidor mundial de frango brasileiro e mais da metade das importações do produto naquele país procedem do Brasil. De acordo com o diretor, os outros principais importadores da carne de frango do Paraná são Arábia Saudita, África do Sul, Emirados Árabes e o Japão. “A China é um importante mercado para os produtos brasileiros, nos mais diversos segmentos. Enfrentar uma medida de proteção comercial como essa é um sinal de que o governo chinês está cauteloso e atento aos nossos produtos e, certamente, vai refletir no volume de exportações para aquele país”, comenta Burbela.

O Brasil é o maior exportador de carne de frango do mundo. Em 2017, foram mais de 4,3 milhões de toneladas e mais de US$ 7 bilhões em negócios. O Paraná, principal exportador do produto, foi o responsável por 36,34% de todas as exportações de carne de frango no Brasil em 2017, segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). Em relação a 2016, a receita cambial com a exportação da carne de frango pelo Paraná cresceu 8%.